Como funciona uma protoboard? - MakerHero
Capa Blog como funciona uma protoboard

Como funciona uma protoboard? Deixe um comentário

A protoboard é uma ferramenta fundamental no universo da eletrônica, sendo amplamente utilizada por engenheiros, estudantes e entusiastas para prototipagem e teste de circuitos eletrônicos. Se você já se aventurou no mundo da eletrônica, provavelmente já se deparou com essa peça indispensável em algum momento de seus projetos. Mas afinal, como funciona uma protoboard?

protoboard

Neste post, exploraremos em detalhes de como funciona uma protoboard, destacando sua importância na montagem de circuitos temporários e como ela facilita o processo de experimentação e desenvolvimento de projetos eletrônicos. Desde sua história e evolução ao longo do tempo até os diferentes tipos disponíveis no mercado atual, vamos mergulhar no mundo das protoboards para entender como elas tornaram-se uma peça fundamental no kit de qualquer maker ou profissional da eletrônica.

O que é uma protoboard? Aprenda como funciona uma protoboard!

Uma protoboard, também conhecida como placa de ensaio, placa de prototipagem ou breadboard em inglês, é uma placa de circuito temporária usada para prototipagem e teste de circuitos eletrônicos. Ela possui uma série de furos onde os componentes eletrônicos podem ser inseridos e conectados de forma temporária sem a necessidade de solda.

As protoboards são frequentemente usadas por engenheiros, estudantes e makers para montar e testar circuitos antes de criar um projeto final em uma placa de circuito impresso (PCB). Elas são convenientes porque permitem que os componentes sejam facilmente movidos e reutilizados, sem danos aos componentes ou à própria protoboard.

As protoboards geralmente têm linhas de conexão internas que permitem a conexão dos componentes de forma organizada, seguindo uma configuração padrão. Isso facilita a montagem de circuitos complexos e a realização de testes rápidos e experimentação com diferentes configurações de componentes.

História das protoboards

Antes de apresentar mais sobre como funciona uma protoboard, é importante conhecer a sua história. A protoboard, conhecida como breadboard em inglês, teve suas origens nas décadas de 1920 e 1930, quando engenheiros e cientistas adotaram placas de madeira, pregos/parafusos e arames para montar circuitos experimentais. O termo “breadboard” deriva da semelhança dessas placas com as tábuas para cortar pães

breadboard

Com o tempo, as protoboards evoluíram, incorporando linhas de conexão internas, tornando-se uma ferramenta essencial para a prototipagem e teste de circuitos eletrônicos.

Tipos de protoboard

As protoboards modernas são feitas de plástico e estão disponíveis em diversas formas, tamanhos e até mesmo cores diferentes. Embora existam opções maiores e menores, os tamanhos mais comuns que você provavelmente encontrará são as protoboards de 830 pontos (full), 400 pontos (half) e 170 pontos (mini). 

Protoboard de 830 pontos, 400 pontos e 170 pontos

A maioria das protoboards também possui abas e entalhes nas laterais que permitem que você encaixe várias placas juntas. No entanto, uma única protoboard de tamanho médio é suficiente para muitos projetos de nível iniciante.

Quais são os componentes eletrônicos compatíveis com as protoboards?

Os componentes eletrônicos compatíveis com protoboards são os chamados PTH (Through-Hole), que significa “furos passantes”. Esses componentes têm terminais que são inseridos nos furos da protoboard e, em seguida, são dobrados ou travados para garantir uma conexão segura.

Componentes PTH (Through-Hole)

Componentes PTH comuns incluem resistores, capacitores, diodos, transistores, LEDs, conectores e muitos outros. Esses componentes são amplamente utilizados em prototipagem eletrônica devido à sua facilidade de uso e capacidade de conexão temporária, sem a necessidade de solda.

Embora existam também protoboards específicas para componentes de montagem superficial (SMD), que são soldados diretamente na superfície da placa, as protoboards convencionais são mais frequentemente utilizadas com componentes PTH devido à sua versatilidade e facilidade de montagem.

Para uma compreensão mais detalhada das diferenças entre os componentes PTH e SMD, acesse o post “Componentes PTH e SMD: Entenda a diferença”.

Quais são as ferramentas necessárias para utilizar uma protoboard?

Para utilizar uma protoboard de forma eficaz, você geralmente precisará das seguintes ferramentas e materiais:

  • Componentes Eletrônicos: Os componentes que você planeja usar em seu circuito, como resistores, capacitores, transistores, LEDs, entre outros.
  • Fios de Ligação (Jumpers): Fios condutores utilizados para conectar os componentes entre si e às linhas de conexão da protoboard.
  • Multímetro: Uma ferramenta essencial para medir tensão, corrente, resistência e verificar a continuidade nos circuitos montados na protoboard.
  • Diagrama ou Esquemático do Circuito: Um guia visual ou esquemático do circuito que você está montando na protoboard, para garantir a correta conexão dos componentes.

Embora essas sejam as ferramentas e materiais básicos necessários para usar uma protoboard, você também pode precisar de outras ferramentas específicas dependendo do projeto que está desenvolvendo e dos componentes que está usando.

Como funciona uma protoboard?

Uma protoboard funciona como uma plataforma para montagem temporária de circuitos eletrônicos. Ela consiste em uma matriz de furos condutores dispostos em linhas e colunas, onde os componentes eletrônicos podem ser inseridos e conectados sem a necessidade de soldagem. 

Abaixo está um resumo de como uma protoboard funciona:

  • Furos condutores: Cada furo na protoboard tem uma pequena porção condutora de metal que permite a passagem de corrente elétrica entre os componentes.
  • Linhas de conexão: Os furos estão organizados em linhas horizontais e colunas verticais. Dentro da protoboard, há trilhas condutoras que conectam os furos de forma organizada, seguindo um padrão pré-definido. Isso permite que os componentes inseridos em uma mesma linha estejam eletricamente conectados entre si.
  • Barramentos de alimentação: Muitas protoboards possuem linhas específicas designadas para alimentação, como VCC (tensão positiva) e GND (terra/negativo). Essas linhas são geralmente destacadas com cores diferentes e conectadas a barramentos que percorrem toda a extensão da protoboard.
  • Flexibilidade de montagem: Os componentes eletrônicos podem ser inseridos nos furos da protoboard e conectados entre si usando fios de ligação (jumpers) ou os próprios terminais dos componentes. Isso permite montar e testar circuitos eletrônicos de forma rápida e temporária, sem a necessidade de soldagem.
  • Facilidade de modificação: Como os componentes são apenas encaixados na protoboard, é fácil modificar o circuito removendo ou movendo os componentes conforme necessário. Isso torna as protoboards ideais para prototipagem e experimentação rápida de novos projetos.

YouTube video

Em resumo, uma protoboard oferece uma maneira conveniente e flexível de montar circuitos eletrônicos temporários, permitindo a conexão rápida e fácil de componentes sem a necessidade de soldagem.

Como funciona uma protoboard: conheça a parte de dentro!

Os componentes se encaixam na protoboard devido às fileiras de pequenos grampos metálicos em seu interior. Esses grampos, como mostrado abaixo, são responsáveis por segurar os terminais dos componentes eletrônicos quando inseridos nos furos da protoboard. Quando um terminal de componente é pressionado em um dos furos da protoboard, um desses grampos o prende firmemente no lugar.

grampos protoboard

Uma protoboard típica também apresenta uma camada traseira que impede que os grampos metálicos se soltem. Geralmente, essa camada consiste em uma fita adesiva dupla face coberta por uma película protetora de papel. Se desejar fixar permanentemente a protoboard em algo, como um robô, basta remover a camada de papel para expor a fita adesiva por baixo.

Fita adesiva para protoboard

O que significam as letras e números em um protoboard?

A maioria das protoboards apresenta números, letras e sinais de mais e menos impressos nelas. Embora sua aparência possa variar entre diferentes modelos, seu propósito geral é sempre o mesmo. Essas marcações ajudam a localizar furos específicos na protoboard, facilitando o acompanhamento das instruções durante a montagem de um circuito. 

Se você já utilizou uma planilha Excel, entenderá facilmente o conceito. Os números das linhas e as letras das colunas funcionam de maneira similar às células de uma planilha, permitindo identificar os furos individuais na protoboard.

Linhas e colunas em protoboard

Essa combinação de letras e números simplifica a especificação da localização de um componente na protoboard, tornando o processo de montagem e depuração do circuito mais organizado e eficiente.

O que significam as linhas coloridas e os sinais de mais e menos?

As linhas coloridas e os símbolos de mais (+) e menos (-) em uma protoboard têm funções específicas. As linhas coloridas, como vermelho e azul, representam os barramentos de alimentação, onde vermelho indica alimentação positiva (+VCC) e azul representa a alimentação negativa ou terra (GND)

Os símbolos de mais e menos possuem o mesmo significado, são usados para indicar conexões elétricas, onde o mais (+) representa a alimentação positiva e o menos (-) representa a terra.

Alimentação de linhas em protoboard

Esses elementos facilitam a organização e o roteamento dos fios de alimentação em uma protoboard, garantindo uma conexão elétrica adequada entre os componentes e a fonte de energia

Como os furos estão conectados? Descubra como funciona uma protoboard!

Lembre-se de que o interior da protoboard é composto por conjuntos de cinco grampos metálicos. Isso significa que cada conjunto de cinco furos que forma uma meia-fileira (colunas A–E ou colunas F–J) está eletricamente conectado.

Protoboard com furos conectados

Por exemplo, o furo A1 está eletricamente conectado aos furos B1, C1, D1 e E1. No entanto, não está conectado ao furo A2, pois pertence a uma linha diferente, com um conjunto separado de grampos metálicos. Da mesma forma, não está conectado aos furos F1, G1, H1, I1 ou J1, pois estão localizados na outra “metade” da protoboard (os grampos não estão conectados através da lacuna no meio).

Ao contrário das linhas principais da protoboard, que são conectadas em conjuntos de cinco furos, os barramentos laterais geralmente percorrem todo o comprimento da protoboard (com algumas exceções).

Os barramentos em lados opostos da protoboard não estão interligados. Normalmente, para disponibilizar alimentação e terra em ambos os lados da protoboard, você conectaria os barramentos com fios de ligação.

Barreamento Protoboard

Como usar uma protoboard? 

Utilizar uma protoboard envolve os seguintes passos básicos:

  • Preparação dos componentes: Tenha os componentes eletrônicos que você pretende usar em mãos. Certifique-se de que estão em boas condições e que você tem todos os componentes necessários para o circuito que deseja montar.
  • Identificação dos furos: Familiarize-se com a disposição dos furos na protoboard. Entenda como as linhas e colunas estão organizadas e como os barramentos de alimentação estão distribuídos. Algumas protoboards possuem linhas coloridas e sinais de mais (+) e menos (-) para facilitar a identificação.
  • Inserção dos componentes: Insira os componentes eletrônicos nos furos da protoboard de acordo com o layout do circuito que você deseja montar. Certifique-se de inserir cada componente nos furos corretos e na orientação adequada.
  • Conexão dos componentes: Use fios de ligação (jumpers) para conectar os terminais dos componentes entre si, seguindo as conexões necessárias para o circuito. Utilize as linhas de conexão da protoboard para fazer as conexões elétricas conforme o esquemático do circuito.
  • Teste e depuração: Após montar o circuito na protoboard, conecte a fonte de energia e faça os testes necessários para verificar se o circuito está funcionando conforme o esperado. Caso encontre algum problema, faça a depuração, verificando as conexões, componentes e possíveis erros.
  • Documentação: Se desejar, faça uma documentação do circuito montado na protoboard, incluindo um diagrama ou esquemático que represente as conexões e os componentes utilizados. Isso pode ser útil para referência futura ou para compartilhar o projeto com outras pessoas.

Como utilizar uma protoboard com Arduino?

Para utilizar uma protoboard com Arduino, siga estes passos:

Como funciona uma protoboard

  • Preparação dos componentes: Certifique-se de ter o Arduino e os componentes eletrônicos necessários para o seu projeto em mãos.
  • Identificação dos pinos do Arduino: Conheça os pinos de entrada/saída (I/O) do Arduino, bem como os pinos de alimentação (VCC) e terra (GND). Consulte o datasheet do Arduino ou utilize um diagrama de pinagem para identificar cada pino.
  • Conexão do Arduino à protoboard: Conecte o Arduino à protoboard utilizando jumpers macho-macho ou fêmea-macho. Insira os jumpers nos pinos do Arduino e, em seguida, conecte as extremidades na protoboard, garantindo que os pinos estejam corretamente alinhados.
  • Montagem do circuito: Insira os componentes eletrônicos na protoboard conforme o esquema do circuito que você deseja criar. Utilize jumpers para fazer as conexões entre os pinos do Arduino e os componentes na protoboard.
  • Programação do Arduino: Escreva o código necessário para o seu projeto no Arduino IDE e faça o upload para o Arduino. Certifique-se de configurar os pinos corretamente no código para interagir com os componentes conectados à protoboard.
  • Teste e depuração: Alimente o Arduino e teste o seu projeto. Verifique se os componentes estão funcionando conforme o esperado e faça ajustes no código ou nas conexões da protoboard, se necessário.
  • Documentação: Documente o seu projeto, incluindo um esquemático do circuito e uma descrição do código utilizado. Isso pode ser útil para referência futura ou para compartilhar o projeto com outras pessoas.

Utilizar uma protoboard com Arduino é uma maneira versátil e eficaz de prototipar e testar projetos eletrônicos antes de criar um circuito finalizado em uma placa de circuito impresso. 

O que é um diagrama de protoboard?

Um diagrama de protoboard é uma representação visual de como um circuito eletrônico está montado em uma protoboard. Esse tipo de diagrama mostra a disposição dos componentes eletrônicos, os fios de conexão e como estão interligados na protoboard.

O que é um diagrama de protoboard?

Geralmente, um diagrama de protoboard inclui os seguintes elementos:

  • Componentes: Os componentes eletrônicos utilizados no circuito são representados de acordo com símbolos padrão, como resistores, capacitores, transistores, LEDs, etc.
  • Protoboard: A protoboard é representada por uma grade de linhas e colunas, onde os componentes são posicionados nos furos correspondentes.
  • Fios de Ligação (Jumpers): Linhas ou traços que mostram como os componentes estão conectados entre si. Esses fios são desenhados de forma a seguir as conexões feitas na protoboard.
  • Linhas de Alimentação: Indicação das linhas de alimentação, como VCC (positivo) e GND (terra/negativo), e como estão conectadas aos componentes do circuito.

Meu circuito precisa corresponder exatamente ao diagrama do protoboard?

Não necessariamente. Embora seja importante que o circuito funcione corretamente e atenda aos requisitos do projeto, a disposição física dos componentes na protoboard nem sempre precisa corresponder exatamente ao diagrama do protoboard. O que é mais importante é que as conexões elétricas entre os componentes sejam feitas conforme descrito no diagrama.

Por exemplo, você pode ter flexibilidade para posicionar os componentes de maneira mais conveniente na protoboard, desde que os fios de ligação sejam usados ​​para conectar os terminais corretos conforme indicado na imagem abaixo. Isso é especialmente útil quando se trabalha com circuitos mais complexos ou em espaços limitados na protoboard.

Distribuição de componentes em protoboard

No entanto, é importante manter a organização e a clareza na montagem do circuito na protoboard para facilitar a depuração e possíveis ajustes futuros. Seguir o diagrama do protoboard com precisão é uma boa prática, mas pequenas variações na disposição física dos componentes podem ser aceitáveis, desde que as conexões elétricas estejam corretas.

O que são fios de ligação e que tipo devo usar?

Fios de ligação são cabos condutores utilizados para conectar os componentes eletrônicos em uma protoboard ou em um circuito eletrônico. Eles são essenciais para estabelecer conexões elétricas entre os componentes, possibilitando a transmissão de sinais e a alimentação do circuito.

Existem diferentes tipos de fios de ligação que podem ser utilizados, dependendo das necessidades específicas do projeto:

Fios de ligação

  • Fios rígidos: São fios com um único condutor interno, geralmente feitos de cobre. São ideais para prototipagem em protoboards, pois podem ser facilmente dobrados e inseridos nos furos da protoboard, proporcionando conexões firmes.
  • Fios flexíveis: São compostos por vários fios finos entrelaçados, proporcionando maior flexibilidade e durabilidade. São mais adequados para conexões que exigem movimento ou flexão, como em circuitos que serão manipulados frequentemente.
  • Fios jumper: São fios curtos pré-fabricados, com extremidades já isoladas e em diferentes comprimentos e cores. São convenientes para conectar pontos próximos em uma protoboard de forma rápida e organizada.

Como funciona uma protoboard: a importância de codificar por cores o circuito

Codificar por cores significa usar fios de diferentes cores para representar diferentes funções ou conexões no circuito. Isso pode ser muito útil para facilitar a compreensão e a depuração do circuito, especialmente em projetos mais complexos.

Codificar por cores

Aqui estão algumas razões pelas quais você pode querer codificar por cores seu circuito:

  • Facilita a identificação: Usar cores diferentes para diferentes tipos de conexões torna mais fácil identificar visualmente a função de cada fio no circuito.
  • Organização: Uma codificação por cores bem pensada pode ajudar a organizar o circuito e a reduzir a confusão ao conectar e diagnosticar o circuito.
  • Depuração simplificada: Se surgirem problemas no circuito, a codificação por cores pode ajudar a rastrear e identificar rapidamente onde está o erro.
  • Documentação clara: Ao documentar o circuito, seja em um diagrama de protoboard ou em instruções escritas, a codificação por cores pode tornar a descrição do circuito mais clara e concisa.

Se você optar por codificar por cores seu circuito, é uma boa prática estabelecer um sistema consistente e intuitivo de cores para diferentes funções. Por exemplo:

  • Vermelho para alimentação positiva (+VCC);
  • Preto para terra/negativo (GND);
  • Verde para sinais de dados;
  • Amarelo para sinais de controle;
  • Azul para sinais de comunicação, etc.

No entanto, codificar por cores não é uma exigência absoluta. Em alguns casos, especialmente em circuitos simples, pode não ser necessário. A escolha de codificar por cores ou não depende da complexidade do circuito, das preferências pessoais e das necessidades específicas do projeto.

Como funciona uma protoboard: Erros comuns e solução de problemas

Erros e problemas de montagem podem ocorrer ao trabalhar com protoboards. Aqui estão alguns dos erros mais comuns e suas soluções:

  • Errar os números das linhas: Verifique cuidadosamente os números das linhas ao conectar os componentes. Erros na numeração das linhas podem resultar em conexões incorretas.

Erros comuns e soluções de problemas

  • Confundir alimentação e terra: Certifique-se de identificar corretamente as linhas de alimentação (VCC) e de terra (GND) na protoboard. Isso evita que os componentes sejam conectados erroneamente.

erros comuns

  • Colocar os componentes ao contrário: Preste atenção à orientação dos componentes ao inseri-los na protoboard. Colocá-los ao contrário pode causar conexões incorretas ou danificar os componentes.

Como funciona uma protoboard e erros comuns

  • Curto-circuitos: Evite que fios ou componentes toquem inadvertidamente entre si, pois isso pode causar curto-circuitos. Verifique se há conexões indesejadas e ajuste conforme necessário. Curto vcircuito em protoboard
  • Não encaixar totalmente os fios e os componentes: Certifique-se de que os fios e os componentes estejam firmemente encaixados nos furos da protoboard para garantir conexões elétricas sólidas.

Curto circuito em protoboard

  • Quebra da protoboard: Embora as protoboards sejam geralmente duráveis, elas podem quebrar se forem submetidas a pressão excessiva ou se caírem de uma altura significativa. Manuseie com cuidado e evite aplicar força desnecessária ao inserir componentes.

Esperamos que esse conteúdo tenha te ajudado a entender como funciona uma protoboard!


Se você tiver dúvidas, sugestões ou experiências para compartilhar, fique a vontade para deixar um comentário abaixo. E para não perder nenhum conteúdo como este, não deixe de nos seguir no Instagram.

Faça seu comentário

Acesse sua conta e participe